Gestantes

A gestação é um período muito especial na vida de uma mulher, o seu corpo passa por uma série de modificações ao longo dos meses sendo necessária uma adaptação às novas condições físicas.

A medida que o bebê se desenvolve dentro do seu útero, ele cresce e aumenta de peso, além disso, considera-se que há uma alteração hormonal importante capaz de causar uma série de alterações posturais. Entre elas pode-se citar: um aumento das curvaturas da coluna lombar, dorsal e cervical, acompanhada de uma projeção dos ombros que busca compensar estas alterações, bem como em função do crescimento das mamas. Os joelhos sofrem uma hiperextensão.

Ao caminhar, pode-se notar que a gestante sente falta de equilíbrio, por este motivo, busca aumentar sua base de sustentação apresentando assim um caminhar diferente, a “marcha anserina” (andar de ganso).

Todos os sistemas corporais da mulher sofrem modificações e estas podem ser notadas facilmente, como por exemplo, a falta de ar, cansaço, sono, aumento de freqüência urinária, inchaço e alterações emocionais.

Nesse sentido, a fisioterapia é capaz de contribuir com a melhora da qualidade de vida da gestante, amenizando suas queixas, através de um programa educativo e terapêutico.

BENEFÍCIOS DA FISIOTERAPIA


Melhora da circulação sangüínea;
Equilíbrio muscular;
Redução do inchaço;
Alívio dos desconfortos intestinais;
Facilidade na recuperação pós-parto.

CONTRA INDICAÇÕES ABSOLUTAS


Placenta prévia;
Sangramento vaginal;
Bolsa Rota (Ruptura das membranas);
Crescimento intra-uterino retardado ou macrossomia;
Doença cardíaca: miocardiopatia ativa, Insuficiência cardíaca congestiva;
Hipertensão gestacional grave;
Trombofeblite;
Embolia pulmonar recente;
Doença infecciosa aguda;
Gestante sem assistência pré-natal.

CONTRA INDICAÇÕES RELATIVAS


Hipertensão essencial;
Gestação múltipla;
Anemia;
Doença da tireóide; Diabetes mellitus
Fadiga extrema;
Dores musculares extremas;
Diástase abdominal;
Contrações que durem várias horas pós-exercício;
Obesidade excessiva ou baixo peso extremo;
História de estilo de vida sedentário;

PRECAUÇÕES


Não alongar além da amplitude fisiológica normal;
Limitar atividades de apoio numa perna só, pelo desconforto;
A posição em decúbito dorsal (barriga para cima) não deverá exceder 5 minutos (principalmente após a vigésima semana);
Após cada série de exercícios em decúbito dorsal, virar para o lado esquerdo, respirando calmamente;
Mudanças de postura devem ser realizadas lentamente;
Evitar a manobra de Valsalva (prender a respiração), por produzir força indesejável no útero e assoalho pélvico;
Ingerir água durante a realização da sessão;
Comer 1h antes de realizar a atividade;
Esvaziar a bexiga para realizar os exercícios, se necessário usar um mini-absorvente;
Adaptar ou interromper exercícios que causem dor, não chegar à exaustão;
Observar a presença da DIÁSTASE

EXERCÍCIOS SUGERIDOS

Tonificação da musculatura abdominal, fortalecimento de membros superiores e inferiores e exercícios de contração de períneo.

No início da gestação a mulher somente fará exercícios se já tiver uma vida fisicamente ativa e aquelas que forem sedentárias deverão ter a recomendação médica além ter idade gestacional superior a três meses. Outro cuidado importante é realizar movimentos lentos, de “ida” e “volta” cuidando a respiração. Antes de executar qualquer exercício é imprescindível a realização de alongamentos.

As mulheres são orientadas e estimuladas a realizar os exercícios pelo menos três vezes por semana para que os benefícios desejados sejam obtidos.

É importante salientar que a gestante deve ser liberada pelo seu obstetra para a prática de atividades físicas e que estas são visadas para o bem estar físico e mental da mulher no pré e pós-parto.

TONIFICAÇÃO DA MUSCULATURA ABDOMINAL

É o abdome que sustenta a coluna lombar mantendo a curvatura normal, além de ser responsável por realizar a força no parto.

Os exercícios abdominais são simples e facilmente realizados com uma única restrição: a diástase abdominal, que é o afastamento maior que 2 centímetros dos músculos retos abdominais em relação a linha média da barriga, decorrente do crescimento desta e da fraqueza muscular.

COMO TESTAR A DIÁSTASE


A mulher deita de barriga para cima, com joelhos flexionados e pés apoiados no chão;
Levantar a cabeça e ombros até o pescoço se afastar ± 20 cm do solo, braços alongados para frente e queixo próximo ao peito;
Checar a presença de saliência na área abdominal central que fica evidente quando os músculos se separam;
Para definir a quantidade de separação coloca-se os dedos horizontalmente dentro da lacuna existente na altura do umbigo: 5 cm acima e abaixo, uma separação de 2 dedos já é significativa e considerada na prescrição de exercícios especiais.

EXERCÍCIOS PARA O PERÍNEO

Períneo:
É uma estrutura anatômica situada abaixo da cavidade pélvica, é a região estreita entre as partes proximais das coxas, se estende do monte do púbis, anteriormente, às faces mediais das coxas lateralmente, às pregas glúteas e à extremidade superior da fenda interglútea posteriormente.

A região pélvica, que normalmente já sofre com as pressões do dia a dia, durante a gestação é solicitada ainda mais. Os músculos são mais requisitados pelo aumento de peso e volume abdominal. Ainda Observa-se que na gestante há um aumento na produção de urina, bem como da pressão do útero sobre a bexiga, o que faz com que quase toda gestante sofra pequenas perdas de urina ao esforço.

Em função disso se faz necessário o fortalecimento desta musculatura visando:


Aquisição consciência corporal;
Auxílio no controle do parto normal;
Promoção de uma melhor recuperação pós parto;
Prevenção da incontinência urinária.

SUGESTÕES

Contrai-relaxa:
contrair e relaxar o períneo, como se fosse segurar o “xixi”.

Exercício do elevador: fazer contrações em tempos (contrai, contrai relaxa, relaxa). Supercontração: manter a contração pelo máximo de tempo que puder, sem prender a respiração, relaxando aos poucos.

Outros exercícios podem ser realizados em conjunto com o fortalecimento do períneo, como apertar uma bola entre as pernas.
×