Posturoterapia

É um novo tipo de tratamento fisioterapêutico, que produz resultados rápidos e de eficiência comprovada, a Posturoterapia, possui um conceito desenvolvido pelo fisioterapeuta e osteopata Dr. Dominique Lippens, da Bélgica. A técnica restabelece o equilíbrio postural do paciente, pela identificação da chamada lesão primária. A Posturoterapia consegue reabilitar o paciente em curto espaço de tempo, liberando, neste período, a compressão articular, além de restabelecer a mobilidade da cadeia muscular lesionada.

É um conceito que reúne diversas técnicas fisioterapêuticas já existentes, dentre elas a Osteopatia e Cadeias Musculares, mas, que usadas em conjunto e prescritas adequadamente, conforme as necessidades do paciente, apontam de imediato qual lesão está ocasionando ou ocasionou recentes problemas e queixas. Segundo dados oficiais da Organização Mundial de Saúde (OMS), 80% da população tem ou vai ter problemas relacionados com a coluna. Nos consultórios e clínicas, 80% do público que passa por tratamento sofre de dores e disfunções nesta região do corpo causadas por lesões primárias. É justamente para esses casos que a Posturoterapia é indicada como tratamento eficaz, não como tratamento paliativo ao se utilizar antiinflamatórios e analgésicos que, tão somente, mascaram o problema, permitindo que a patologia se instale no corpo. Este conceito aplica-se a dores generalizadas, que podem variar de um simples cansaço a traumas leves, dores musculares e problemas nos órgãos internos como pedra nos rins e gastrite.

Por se tratar de uma técnica de terapia manual não agressiva, a Posturoterapia é bem aceita pela maioria dos pacientes. Suas sessões acontecem individualmente, duram em média 50 minutos e são realizadas em intervalos de três a sete dias. Em um acidente automobilístico, por exemplo, não é raro o passageiro passar pelo movimento chamado chicote, que faz a cabeça ir e voltar rápida e bruscamente por conta do impacto. O paciente sente a dor no local nos três primeiros dias e nem imagina que uma dor que vem a aparecer depois de anos, no pé, no ombro ou na região lombar, possa ter sido originada naquele incidente.

Outra vantagem da técnica é a rápida constatação de resultados. Em alguns casos, o paciente sente diferença logo após a primeira sessão. Efeitos mais consistentes são sentidos, geralmente, após a terceira sessão, quando é registrada melhora de até 80% do quadro inicial.

Uma vez diagnosticada por meio da Posturoterapia, a lesão primária é tratada. As três primeiras sessões compreendem, avaliação postural para detectar a cadeia lesional, testes cinesiológicos para detectar a relação com órgãos internos, a inibição muscular, a manipulação e o reequilíbrio articular do paciente. Como resultante, a região lesionada passa a ser reprogramada entre as cadeias musculares de flexão, extensão, giro e rotação.

É fácil entender. Se a dor da coluna é resultado de uma lesão primária no estômago (gastrite) ou no pé (entorse), esta lesão é que deverá ser tratada. Além disso, todas as compensações e as restrições de mobilidade que o organismo foi forçado a fazer neste período serão corrigidas.

×