Terapia Manual

A Terapia Manual consiste em utilizar as mãos para influenciar a capacidade de reparo do organismo. Assim, a manipulação afeta propriedades mecânicas dos tecidos como elasticidade, força e alongamento; trata as deficiências neuromusculares decorrentes de doenças e lesões musculoesqueléticas como perda de equilíbrio e movimento; trata a dor; permite a correção postural, além de causar reações psicológicas que apresentam uma resposta somática traduzida pelo relaxamento e sensação de bem estar.

A expressão "Terapia Manual" surgiu com Marcel Bienfait. Ele diz não ter sido o primeiro a utilizá-la, mas adotou-a porque define bem seu trabalho pessoal. O termo refere-se a diferentes métodos de tratamento: mobilização e manipulação articular, massagem do tecido conectivo, massagem de fricção transversa, mobilização neuromeníngea, facilitação neuromuscular, massagem transversa profunda, liberação miofascial, equilíbrio do sistema nervoso, entre outras.

Os objetivos básicos gerais das técnicas são: aumentar a flexibilidade de músculos, cápsulas, ligamentos, tendões e nervos; prevenir ou reduzir aderências e inflamações locais; promover melhora na lubrificação e na mobilidade destas estruturas; auxiliar no equilíbrio do sistema nervoso; e como conseqüência aliviar a dor e os sintomas associados. As sessões geralmente são realizadas uma vez por semana e tem duração média de 45 minutos.

Geralmente o atendimento com a Terapia Manual é realizado após a sessão de Microfisioterapia, pois como todo trauma tem uma origem que fica registrada em algum tecido do organismo, primeiramente é indicado que se estimule o corpo a reconhecer a causa primária da doença, ativando assim sistema imunológico se defender do agente agressor. Pode-se então manipular os tecidos lesados, reduzindo as chances de uma recidiva após o Tratamento Manual.

×